Briga entre os Cães: Como neutralizar e acalmar a situação

 

11716_OKOs cães que vivem juntos nem sempre se dão bem – e as lesões causadas por cães que brigam em casa são geralmente mais graves do que aquelas infligidas em encontros casuais.

Tal como acontece no caso de lobos, as relações sociais entre os cães baseiam-se em uma rigorosa hierarquia. Quando dois cães vivem juntos, sempre existe um cão dominante e outro dominado. E, para manter a paz entre eles, você terá de respeitar essa hierarquia — ainda que isso signifique negar seu próprio instinto natural como proprietário que é de proteger o mais fraco.

 

Fêmeas envolvidas em mais conflitos

Muitos proprietários acreditam que ter dois cães é tudo de bom, pois cada um deles fará companhia um para o outro. Contudo, este nem sempre é o caso.

Ao contrário do que muitos pensam, as fêmeas são envolvidas em mais agressões domésticas do que os machos (47% versus 32%; o restante diz respeito a brigas entre cães de sexos diferentes*); além disso, é mais difícil resolver brigas entre fêmeas.
Se os cães não forem da mesma idade, o mais jovem frequentemente se torna mais agressivo quando atinge a maturidade sexual.

Dê prioridade ao cão dominante

As brigas costumam acontecer nas horas das refeições, quando existe um elemento de rivalidade entre os cães. As situações que despertam inquietude ou agitação (tais como as saídas do proprietário de casa, brincadeiras) também podem desencadear uma briga.

Embora isso possa não ser algo natural para você, a melhor solução é reforçar a hierarquia. Ao demonstrar muita compaixão pelo cão dominado, você só tornará a situação ainda pior. Isso significa que você sempre deve alimentar o cão dominante primeiro. Se houver algum conflito, não conforte a vítima nem puna o agressor. Em geral, tente ficar o mais neutro possível. Acaricie-os sempre que desejar (se a iniciativa for sua), mas evite fazer isso se um dos cães se aproximar de você.
Os cães têm uma mentalidade de matilha e precisam ter uma posição claramente definida dentro de um grupo. Para um cão, o fato de ser dominado oferece uma forma de segurança, ou seja, é preferível para ele do que não saber que papel ele deve desempenhar.

Diferentes modalidades terapêuticas

Antes que a situação alcance um ponto crítico, não se esqueça de consultar o veterinário. Além de orientá-lo sobre a possibilidade de terapia comportamental, esse profissional poderá receitar medicamentos ansiolíticos (calmantes), em caso de necessidade. Tais tratamentos costumam ser bem-sucedidos, mas sempre devem ser conduzidos por um profissional da área médica.

Como identificar os cães dominantes e dominados

Nem sempre é fácil identificar os papéis desempenhados pelos cães. Aqui vão algumas dicas para ajudá-lo:

- O cão dominante tenta intimidar o outro cão com um olhar fixo. Ele pode testar o cão dominado, colocando uma pata sobre seu pescoço ou dorso. Se o segundo cão aceitar essa investida, o cão dominante então colocará toda a parte da frente de seu corpo sobre o dorso, como se estivesse montando em um parceiro sexual. Por fim, ele pode abaixar a cabeça e mordiscar o pescoço do cão dominado.
- O cão dominado evita olhar diretamente para o cão dominante. As orelhas do cão dominado permanecem baixas e sua cauda fica entre os membros traseiros. Quando esse cão dominado deseja demonstrar sua submissão, ele chora, deita e mostra sua barriga e/ou pescoço.

*Wrubel KM. Interdog household aggression: 38 cases (2006–2007). J Am Vet Med Assoc 2011; 238: 731-740.