Meu Filhote

Se o seu gatinho chegou ainda filhote na sua casa, prepare-se para tomar alguns cuidados especiais nessa fase. Cuidando bem desde pequeno, seu filhote tem tudo para crescer forte e saudável!

Chegada ao novo lar

Antes de trazer seu gato para casa, seja ele adulto ou filhote, é importante preparar o ambiente para recebê-lo.

A chegada deve ser silenciosa, porque muito barulho pode assustá-lo. Escolha um quarto ou outro cômodo da casa para abrigá-lo com a porta fechada, até o animal se acostumar com os barulhos e cheiros dos moradores. Deixe a água e a comida no mesmo local.

Nos primeiros dias, tente manter os mesmos hábitos que o gato tinha em sua antiga casa. Depois, vá inserindo aos poucos as mudanças, como uma nova alimentação, nova caixa de areia e brinquedos. Providencie uma bolsa de transporte para quando precisar levar seu gato ao veterinário.

Alimentação

A partir da 5ª semana de vida, o filhote começa a desenvolver intolerância ao leite materno e começa a transição da dieta líquida para a dieta sólida. Neste momento, o alimento do primeiro estágio da linha Nutrição Saúde para filhotes oferece uma nutrição completa e balanceada.

Até os quatro meses, o filhote precisa de alimentos com alta concentração de energia e altamente digestível. A partir dessa idade, o gato entra em um período de crescimento mais lento, e um alimento do segundo estágio da linha Nutrição Saúde contribui para o desenvolvimento dos músculos e ossos.

Por volta de um ano, o gato atinge a maturidade de sua capacidade digestiva. Com isso, a dieta indicada da Nutrição Saúde é a específica para adultos.

Diferente dos cães, a alimentação do gato ocorre em pequenas porções, de 10 a 20 vezes ao dia. Por isso, é importante manter a comida sempre à disposição do animal, com água limpa e fresca. É recomendado também manter a caixa de areia bem distante da área de alimentação, porque se o gato achar que o local está sujo, ele vai se recusar a comer.

Treinamento

Quando o filhote chega em sua casa, muitos comportamentos já foram adquiridos. Porém, é importante treinar o filhote, pois tudo que ele aprende até os nove meses fará com que ele se comporte melhor na idade adulta. Em geral, a partir da terceira semana de vida o filhote já faz suas necessidades sempre na caixinha de areia.

A socialização com os seres humanos e outros animais ocorre melhor até a sétima semana de vida. Para auxiliá-lo na adaptação, é interessante oferecer ao filhote objetos para brincadeiras, como bolas e caixas de papelão. Quando acariciado e pego no colo por alguns minutos diariamente, colocado na presença de crianças e outros animais, o gatinho se acostuma aos barulhos e se torna mais equilibrado.

Uma questão complicada é o afiar das garras. Esta é uma necessidade instintiva do gato, por isso, para evitar que o filhote rasgue sofás e almofadas, é importante oferecer a ele um local para fazer isso, como um arranhador vertical ou uma árvore de gato instalada próxima de seus lugares favoritos.

Cuidados iniciais

Apesar dos gatos se higienizarem sozinhos, é importante reforçar a higiene. No começo pode ser um pouco difícil, porque o animal pode ficar inquieto, mas depois ele se acostuma. Os pelos devem ser penteados para que não embaracem.

Garantir a higiene desde filhote aumenta a qualidade e a expectativa de vida do animal, além de facilitar o seu comportamento na vida adulta. Doenças ligadas a falta ou excesso de nutrientes, além da temida obesidade, começam a ser desenhadas no filhote, tornando mais difícil o controle no gato adulto.

Visitas ao veterinário

Logo que pegar o gatinho, o ideal é consultar um veterinário em no máximo cinco dias. Assim, o profissional poderá se certificar de que o animal está com a saúde perfeita e fornecer dicas específicas para o cuidado do pet, além de organizar o cronograma de vacinas.